Experiência do Candidato: o que é, importância e como promover

Imagine a seguinte situação: você identificou um possível candidato perfeito logo no início do processo seletivo. A competência dele vai se mostrando promissora e se eleva a cada etapa e teste aplicado. Mas, de repente ele some e desiste da vaga. Isso já aconteceu com você alguma vez? Pois, saiba que esta desistência pode ter tudo a ver com a experiência do candidato.

Recrutar talentos é uma das atividades triviais do RH e de fundamental importância para melhorar os resultados de qualquer empresa. E o principal instrumento de análise de candidatos é o currículo

Entretanto, apesar de ser uma exigência ao se candidatar a qualquer vaga de emprego, ele já não é mais suficiente para o recrutamento. Por tamanha responsabilidade e desejo de encontrar o melhor profissional, alguns recrutadores elaboram diversas etapas de testes e qualificação e erram a mão ao realizar processos seletivos.

Processos seletivos longos, cansativos e fatigantes podem fazer com que excelentes profissionais desistam da participação e busquem uma oportunidade em outras empresas. E, no fim, você acaba perdendo a oportunidade de contratar o profissional perfeito para a vaga.

Pensando em minimizar este risco, nós da Xerpa elaboramos este artigo com dicas de como melhorar a experiência do candidato, para que você não perca nenhum talento! Siga com a gente e boa leitura!

O que é a experiência do candidato

A experiência do candidato trata-se, nada mais, nada menos, do que a forma como os candidatos percebem e reagem aos processos de seleção. E aqui estão envolvidas todas as etapas, desde da candidatura na vaga, recrutamento, entrevista, contratação e integração na empresa.  

Ter esse cuidado na elaboração do processo seletivo é importante para estabelecer uma verdadeira ligação com quem concorre a vaga. E também fazer com que ele tenha o desejo de integrar a equipe, contribuindo para o crescimento da empresa.

Quanto maior o poder da atração, mais motivado o candidato vai estar em permanecer no processo seletivo.

Principais erros que prejudicam a experiência do candidato

Para evitar com que o seu processo de seleção desanime possíveis bons candidatos, listamos abaixo alguns dos principais equívocos cometidos por recrutadores:

  1. Informações e instruções pouco claras, seja na candidatura ou durante o processo seletivo;
  2. Excesso de etapas no processo seletivo, tornando-o longo, cansativo e desestimulante;
  3. Testes de habilidades ou conhecimento que não tem relação com a vaga em aberto;
  4. Etapas que exigem demais do candidato, que tem pouca informação sobre o cargo;
  5. Dificuldade para falar com os recrutadores e outros problemas de comunicação;
  6. Falta de feedback e e-mails de confirmação.

Esses descuidos causam uma péssima experiência e levam os candidatos a desistirem do processo de seleção. 

Elas também fazem com que, esses que passaram por uma experiência desagradável, nunca mais procurem a empresa, mesmo diante de uma oportunidade compatível com o seu conhecimento.

Agora que você já os conhece, pode começar a reestruturar o processo seletivo da empresa eliminando estes pontos negativos.

O que fazer para engajar os candidatos durante o processo seletivo

Promover uma excelente experiência do candidato é um trabalho desafiador e que deve buscar melhorias contínuas. Porém, apesar do esforço, quando consolidado, agrega valor à empresa e melhora, significativamente, a escolha de profissionais ideais para cada cargo.

Para te ajudar nesse processo, nossos profissionais listaram as melhores práticas para tornar a experiência do candidato memorável. Veja a seguir:

Facilitar o cadastro do candidato à vaga

A boa experiência deve começar logo no processo de cadastramento à vaga.

Muitas empresas disponibilizam candidaturas pouco funcionais, que além de exigir informações em excesso do candidato, esclarecem pouco sobre a vaga e não falam nada, ou quase nada, sobre a empresa.

Ter dificuldade no cadastramento, demandar tempo demais para este processo ou mesmo ter pouco conhecimento sobre a vaga ou empresa são fatores que interferem, negativamente, a experiência do candidato, logo de cara. E, como consequência, pode gerar um alto número de desistências.

Dê orientações claras, informações ricas e garanta um processo rápido de cadastramento do candidato – de preferência com poucos cliques.

Atualmente existem ferramentas de inteligência artificial que interpretam o CV do candidato, após o seu upload. Experimente utilizá-las em seu processo seletivo!

Apresente a empresa e seu propósito

Um grande profissional, dificilmente, vai ter vontade de ingressar em uma companhia da qual ele pouco conhece e não tem familiaridade. Portanto, ao anunciar uma nova vaga de empresa, o RH deve ficar atento na forma de apresentar a companhia.

Tente, resumidamente, informar o real propósito da organização e a seu posicionamento. Apresente os diferenciais e tente construir uma conexão com o candidato.

Profissionais tendem a desejar uma empresa quando se sentem conectados com os seus propósitos e consideram que podem fazer parte de um grupo que faz a diferença.

Então, não hesite em falar da empresa e dos seus diferenciais! Isso vale tanto no anúncio da vaga, quanto nas etapas do processo de seleção. Quanto mais o candidato desejar fazer parte da empresa, mais ele vai se esforçar para conquistar a vaga e melhores serão os profissionais recrutados.

Cumpra com os horários estabelecidos

O planejamento ineficiente ou a má execução da organização e/ou dos processos de seleção podem provocar atrasos. E isso gera um grande desconforto nos candidatos, que podem se sentir desrespeitado e poucos valorizados, criando uma imagem negativa da empresa.

É claro que imprevistos acontecem e atrasos de 10 ou 15 minutos não chegam a interferir na boa experiência do candidato. O que não pode, de forma alguma acontecer, é atrasos maiores, principalmente quando envolve horas de espera.

É fundamental cumprir, rigorosamente, os horários agendados com os candidatos. E, para isso, faça um bom planejamento e execute-o adequadamente. Para que nada saia do controle, considere contar com possíveis atrasos dos próprios candidatos – que também não deve ultrapassar os mesmos 15 minutos, em média.

Estabeleça um clima harmonioso para a entrevista

Por si só, a entrevista já é um momento tenso para muitas pessoas. E, alguns recrutadores parecem fazer questão de deixar o clima do encontro ainda mais apreensivo.

Isso, é claro, não é nada positivo para a experiência do candidato, que pode se sentir desconfortável e pressionado e, dessa forma, fazer uma apresentação abaixo do esperado.

Prefira caprichar no clima harmonioso, deixando o candidato bem à vontade para mostrar quem ele realmente é.

Veja algumas dicas:

  • releia o currículo antes da entrevista;
  • seja atencioso;
  • evite distrações durante a entrevista;
  • crie um roteiro para a entrevista; 
  • ouça o candidato, deixe que ele seja o protagonista;
  • estimule-o a falar de si;
  • evite interrupções contínuas ao candidato;
  • evite intimidação ou pressão;
  • estabeleça uma conexão empática.

Aproveite o momento para causar uma boa impressão, proporcionar uma boa experiência ao candidato e alinhar a personalidade deles com os pilares da empresa.

Dê feedback aos candidatos

Uma das principais queixas dos candidatos é a falta de retorno das empresas em relação à candidatura. Seja com um feedback informando que o currículo não se encaixa perfeitamente na vaga ou mesmo que o processo seletivo foi encerrado.

Esta atitude, certamente, prejudica a reputação da empresa, pois deixam os candidatos decepcionados com a falta de empatia dos recrutadores.

Não existe um prazo determinado para que seja dado esse retorno, mas é recomendado que seja o mais breve possível, por e-mail mesmo. E, no caso de um feedback negativo, é necessário sempre tomar cuidado para ser sutil e não ofender o profissional.

Uma dica é automatizar o processo de retorno aos candidatos, tanto nos retornos positivos, quanto nos negativos, criando um texto padrão para ambas as situações.

Fortaleça a conexão com a marca

Se, infelizmente, o candidato não foi selecionado para continuar no processo seletivo, mas o RH identificou que ele é um bom profissional e pode ser aproveitado em outro momento ou oportunidade, não perca a oportunidade de estabelecer uma conexão.

No momento de dar o feedback informe que o currículo não pode ser aproveitado no momento, mas permanecerá no banco de talentos para oportunidades futuras.

Isso, no final das contas, gera uma boa experiência do candidato, mesmo com o retorno negativo da vaga.

Viva a experiência do candidato

Para saber se o processo de seleção que o RH estabeleceu proporciona, de fato, excelente experiência do candidato, nada melhor do que você mesmo passar por ele.

Mas é para vivenciar todas as etapas: 

  1. Candidatura;
  2. Formulário;
  3. Espera do retorno;
  4. Tentativa de entrar em contato e tirar dúvida;
  5. Testes;
  6. Entrevistas, etc.

Visualizar o processo pela perspectiva do candidato ajuda a identificar oportunidades de melhoria. 

Agora que já sabe como promover uma boa experiência do candidato, use as dicas dos profissionais da Xerpa para fazer seleções mais assertivas e não perder nenhum talento.

Nosso principal objetivo é desburocratizar o setor RH e transformar o modo como empresas se relacionam com colaboradores. E buscamos melhorar o relacionamento das organizações com colaboradores, criando ambientes de trabalho mais produtivos e alegres. 

Quer mais dicas de experiência do candidato e processos seletivos? Acompanhe nosso blog. Boa leitura!


About

Plataforma tecnológica perfeita para seu RH: Compleo ATS: Software de Recrutamento e Seleção que ajuda você a gerenciar as etapas do seu processo seletivo, desde a abertura da vaga, divulgação, triagem, testes, entrevistas e organização de todas as etapas para que você possa contratar o melhor candidato no menor tempo possível. Compleo Vídeo: Software de entrevistas via vídeo que ficam gravadas para serem assistidas a qualquer momento por você, sua equipe ou seus clientes. Ajuda você a não gastar tempo com entrevistas presenciais desnecessárias e também o seu candidato a não ter que se deslocar fisicamente.

Leave Comment