O que considerar ao montar um Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)?

Faz parte das competências da gestão de Recursos Humanos das empresas formular e investir no Plano de Desenvolvimento Pessoal (PDI) dos profissionais dentro da companhia. Trata-se de um planejamento capaz de fazer com que os colaboradores consigam alcançar objetivos e metas a curto e longo prazo.

Para formular um PDI eficiente é preciso definir bem objetivos, as estratégias e contar com um planejamento eficiente das ações. Quer saber mais sobre plano de desenvolvimento individual e como montar um para a sua empresa? Então, continue a leitura!

O que é um Plano de Desenvolvimento Individual?

O PDI diz respeito a um plano de evolução de carreira, que aponta os caminhos que cada funcionário deve trilhar para conquistar postos de trabalho mais alto dentro da empresa.

No entanto, apesar de o PDI ser muito associado à companhia empregadora, ele também pode ser usado para que o profissional visualize as suas oportunidades de carreira dentro e fora da atual corporação, ajudando o colaborador na identificação da necessidade do desenvolvimento de competências para chegar à posição desejada.

Nesse cenário, o PDI pode ser usado para direcionar as ações de autodesenvolvimento para o cumprimento de objetivos, independente de o profissional estar atrelado a uma empresa.

No ambiente organizacional, o PDI serve como uma ferramenta de orientação para que os funcionários permaneçam motivados, engajados e focados na empresa, o que gera melhores resultados, tanto para a organização, quanto para o profissional.

Isso porque o profissional saberá exatamente o que fazer para se chegar ao cargo desejado e quanto tempo ele terá de empregar para se capacitar.

Como funciona e como colocar o PDI em prática?

Agora que você já sabe o que é PDI e sua importância, veja como colocá-lo em prática!

Faça uma análise do cenário atual

A primeira questão a ser avaliada na hora de colocar em prática o Plano de Desenvolvimento Individual é fazer uma análise criteriosa do cenário em que o colaborador se encontra. É necessário compreender qual é o nível de desempenho do profissional, os objetivos do indivíduo com relação à carreira e, partindo desse princípio, fazer o planejamento das ações que o ajudarão a alcançar os próximos passos.

Uma ferramenta de gestão de RH pode ser uma forte aliada para a aplicação de testes e avaliações de desempenho. Com isso, é possível entender quais competências precisam ser trabalhadas em cada perfil de colaborador.

Ainda com a ajuda da tecnologia, você pode fazer o mapeamento comportamental, que é uma ferramenta utilizada para identificar competências que já atendem à companhia, e/ou precisam ser desenvolvidas.

A partir dessas informações, é possível trabalhar na engenharia de cargos, que é um recurso de mapeamento das competências necessárias para que o cargo seja ocupado por um profissional de alto rendimento.

Dessa forma, é possível fazer o cruzamento de informações acerca dos profissionais e definir o que é necessário para que ele atinja o alto desempenho em determinada função.

gestão de talentos na TIPowered by Rock Convert

Trace os objetivos

Para que o Plano de Desenvolvimento Individual realmente funcione, é preciso definir metas e objetivos. Isso porque é necessário traçar o percurso onde o colaborador pretende chegar.

Nesse sentido, é necessário investir tempo para conversar com o funcionário e compreender quais são as expectativas deles relacionadas à carreira e à companhia. Além disso, é preciso entender o que a companhia espera e precisa desse profissional. Findada essa etapa, é preciso pensar em ações e caminhos claros, ou seja, que de fato serão possíveis de serem efetivados.

Assim, o primeiro passo é traçar metas gerais, com um principal objetivo, como, por exemplo, melhorar a conversação em inglês. Após, é preciso criar metas menores, com participar de reuniões na língua estrangeira como ouvinte, dar uma opinião em inglês ao final do encontro, gravar um vídeo de apresentação para os investidores americanos, entre outras ações.

Assim, o RH da empresa constrói pequenas metas que ajudarão o profissional a alcançar seu objetivo. Essas metas ajudam tanto o gestor da área, quanto o funcionário, a entender e perceber a evolução da competência trabalhada.

Defina as estratégias

Para o sucesso do projeto de implantação do PDI, é indispensável definir os meios para realizar as ações. Para isso, determine qual a estratégia será usada com os funcionários no momento e como será possível direcionar os caminhos para alcançar os objetivos de desenvolvimento.

Para isso, é necessário que a gestão dos setores determine junto dos colaboradores a frequência que acontecerão as ações de capacitação e quais serão as metodologias adotadas para as metas estipuladas no PDI.

Para esse momento, é importante compreender o perfil comportamental de cada profissional para considerar as suas competências e habilidades já inerentes. Com isso, é possível traçar uma estratégia que considere as especificidades de cada perfil comportamental, tendo como foco elevar o desenvolvimento individual.

Planeje as ações

Depois de saber quais serão os objetivos e as metas de cada funcionário, é necessário pensar nas atividades práticas que esses profissionais desenvolverão rumo ao cargo desejado.

Todas essas atividades dependem das competências que o funcionário necessita desenvolver. No entanto, elas consistem em esforços que envolvem muito estudo e a participação em treinamentos, por isso, a empresa precisa pensar em como facilitar esse processo, seja com treinamentos internos ou externos.

Estabeleça prazos e investimentos

Fazer o levantamento dos investimentos necessários para o Plano de Desenvolvimento Individual é muito importante para viabilizar as ações, assim como determinar quais serão os prazos para o PDI do funcionário. Isso é fundamental para que todos os envolvidos consigam se organizar, tanto com relação ao orçamento, quanto em questão de tempo.

Qual o papel do RH na implantação do PDI?

O setor de RH das empresas será o responsável por direcionar os trabalhos, levantar as demandas e fazer todo o planejamento, assim como envolver as lideranças e os subordinados nas metas do PDI. Também será responsável pela gestão dos investimentos em treinamento e desenvolvimento, assim como estabelecer os prazos e as metas.

O gestor de RH tem a importante função de acompanhar todos os processos e fazer os ajustes necessários, a fim de garantir o bom andamento das atividades. Outra função é criar meios para facilitar as competências dos colaboradores com os recursos que a companhia já dispõe, otimizando todo o orçamento.

Para fazer o acompanhamento desses planos de maneira acertada e eficiente, contar com softwares de gestão de RH é fundamental, pois, por meio das ferramentas, você tem acesso a uma série de dados e ainda pode usufruir de testes e outros recursos que tornarão o processo de implantação do plano de desenvolvimento individual mais eficiente. Além disso, seguindo essas dicas você aumenta a sua chance de sucesso na implantação do PDI.

Se você gostou deste artigo sobre plano de desenvolvimento individual, confira também outro conteúdo sobre atração de talentos!


About

Compleo

Plataforma tecnológica perfeita para seu RH: Compleo ATS: Software de Recrutamento e Seleção que ajuda você a gerenciar as etapas do seu processo seletivo, desde a abertura da vaga, divulgação, triagem, testes, entrevistas e organização de todas as etapas para que você possa contratar o melhor candidato no menor tempo possível. Compleo Vídeo: Software de entrevistas via vídeo que ficam gravadas para serem assistidas a qualquer momento por você, sua equipe ou seus clientes. Ajuda você a não gastar tempo com entrevistas presenciais desnecessárias e também o seu candidato a não ter que se deslocar fisicamente.

Leave Comment