Recrutamento e Seleção: Não cometa estes 7 erros em 2017

Priscila Silva Recrutamento como Negócio, Recrutamento Interno Tags:, ,
0
7 erros em Recrutamento

A área de recrutamento e seleção está passando por transformações constantes, isso porque ela precisa se adequar as necessidades do mercado. A cada novo ano surgem inovações que ajudam a aprimorar o trabalho do recrutador. O sistema de RH vem se tornando cada vez mais completo e com recursos que facilitam grande parte do processo de recrutamento e seleção.

Se em 2016 a produtividade da área não foi tão boa, é possível começar 2017 com uma nova proposta e atingir melhores resultados. Com a utilização de um software para recrutamento e seleção, os processos seletivos se tornarão mais ágeis e assertivos. Veja os erros mais comuns que muita gente vem cometendo. Se você se identificar com algum desses casos é hora de repensar sua situação para 2017.

1. Perder tempo com a seleção de currículos

A quantidade de currículos que chegam para uma vaga pode ser muito grande e selecionar um a um acaba gerando um desperdício de tempo. Com um sistema para recrutamento e seleção é possível utilizar filtros, que auxiliam nesse processo.

2. Perder o melhor candidato por falta de proximidade geográfica

A geolocalização é extremamente importante nos dias de hoje, tanto para buscar candidatos que morem próximos ao local de trabalho, quanto a outros fora da cidade.

Muitas vezes o profissional certo está só esperando uma oportunidade para mudar de cidade e começar um novo desafio. Mas nem sempre tem condições de vir para uma entrevista presencial, a vídeo entrevista pode aproximá-lo da sua empresa.

Porém, além de analisar diversos currículos ter que pesquisar todos os endereços em um mapa para saber se são próximos ao local de trabalho, exige muito tempo.

Acabar com esse problema pode ser simples, basta realizar alguns cliques, adicionando localidades específicas como preferência e o sistema realiza a busca, retornando os resultados próximos.

3. Não saber quem é o candidato ideal

Ao receber a demanda de contratação é preciso conhecer o perfil exigido para a vaga, quais são os conhecimentos técnicos necessários e os comportamentais. Será preciso saber também sobre a atividade a ser desenvolvida no cotidiano para conseguir avaliar os candidatos.

Será preciso saber também sobre a atividade a ser desenvolvida no cotidiano para conseguir avaliar os candidatos.

Sem que se tenha um detalhamento sobre a vaga, fica difícil acertar na contratação. Mas, quando se tem todas essas informações detalhadas e armazenadas, se pode consultar a qualquer momento, sem a necessidade de ter que aguardar uma resposta do gestor que solicitou a contratação.

Isso agiliza o recrutamento, fazendo com que o processo fique mais rápido e permitindo saber qual o candidato ideal desde o início.

4. Apostar no canal de divulgação errado

Divulgar a vaga em sites especializados e redes sociais é sempre uma boa opção, porém, alguns acabam trazendo mais retorno do que outros. É preciso saber qual deles realmente conseguem atrair os candidatos certos para a vaga.

Ter um monitoramento e saber qual o ROI que cada canal está proporcionando, vai ajudar a elaborar as melhores estratégias para captar bons currículos. Ao fazer esse monitoramento, é possível também economizar recursos, deixando de investir em canais que não proporcionam retorno.

5. Não usar a tecnologia para entrevistar

As entrevistas realizadas por vídeo são de grande valia, ainda mais quando gravadas, pois permitem que o candidato seja avaliado e que a qualquer momento se possa rever a gravação, tirando uma possível dúvida.

Dessa forma, se consegue avaliar o comportamento do candidato e também como ele lida com a tecnologia. Saber fazer bom uso da tecnologia é um requisito que muitas vagas exigem, permitindo que se feita uma avaliação prática.

6. Organizar a agenda de forma ineficiente

É possível que seja necessário realizar diversas entrevistas ao longo de um dia, porém, marcar uma seguida da outra, sem que haja um intervalo, faz com que o rendimento do recrutador diminua.

É preciso que ocorram intervalos entre os processos seletivos, para que o recrutador possa descansar e não tenha a sua habilidade de avaliação comprometida. Se isso não for feito, é muito provável que um bom candidato deixe de ser notado, apenas porque era um dos últimos do dia e não recebeu uma avaliação como deveria.

7. Deixar de lado as indicações 

Quanto mais se sabe sobre um candidato, mais fácil é identificar se ele realmente possui os requisitos necessários para a vaga.

Um bom software de RH permite que seus colaboradores indiquem candidatos para as vagas e deem referências sobre eles. Indicação gera confiança, agora é só seguir os passos do processo de recrutamento e seleção.

Com esses dados extremamente relevantes, se consegue fazer uma melhor seleção e saber os que possuem o perfil para a vaga.

Concluindo

Se você em 2016 cometeu esses mesmos erros é hora de avaliar seus conceitos e permitir que em 2017 a área de recrutamento e seleção possa ser mais produtiva, encontrando os melhores colaboradores e diminuindo a rotatividade.

E a mudança pode acontecer de forma simples, bastando utilizar um sistema de RH eficiente e que ofereça todas essas possibilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você está pronto para levar seu recrutamento e seleção ao próximo nível?