Recrutamento e Seleção em tempos de crise: desafios e oportunidades!

Com a turbulência política e a crise econômica brasileira, as taxas de desemprego tendem a aumentar consideravelmente em todos os segmentos. Nesse contexto, as empresas precisam encontrar meios de equilibrar a balança e os profissionais de Recursos Humanos têm cada vez mais um papel estratégico nos negócios.

No entanto, grandes responsabilidades trazem também grandes desafios. Um dos maiores, com certeza, é saber administrar demissões e otimizar ao máximo os processos de recrutamento e seleção com baixo custo.

Transparência e engajamento

Além disso, é função da área de Recursos Humanos estar na linha de frente quando o assunto é informar o colaborador. É fundamental manter as equipes por dentro dos movimentos da empresa num cenário de contenções e possíveis cortes.

Dessa forma, transparência é a palavra-chave. Em parceria com a Comunicação Interna, o Recursos Humanos está a cargo de evitar boatos e, assim, evitar pânico, ansiedade e queda na motivação e produtividade entre os colaboradores.

Outra estratégia importante é apostar em campanhas internas de motivação. Claro, essa pode ser uma tarefa árdua: manter em alta o engajamento das equipes num panorama de instabilidade e redução de custos.

Por isso, é preciso pensar em saídas alternativas, que fomentem benefícios, mas não necessariamente impliquem aumento de salários. Folgas, incentivos culturais, palestras e workshops podem entrar nessa lista.

Todos esses pontos formam a base para a sobrevivência nos tempos de crise. Continue a leitura do artigo e saiba mais sobre como esses desafios podem ser superados com a adoção de práticas inteligentes de recrutamento e seleção!

Demissão inteligente

A diminuição no quadro de colaboradores é, normalmente, uma das primeiras medidas tomadas pelas empresas para conter a baixa demanda frente ao grande número de funcionários.

Dessa forma, o Recursos Humanos assume um papel estratégico muito importante, pois deve alertar os gestores sobre os prós e contras, a longo e médio prazo, que tais medidas drásticas podem causar.

Deve ser levado em conta os prejuízos, a capacidade de recuperação da empresa e as vantagens reais (não especulações) que uma demissão em massa pode trazer. Ou seja, o Recursos Humanos precisa ajudar a empresa a já garantir uma vantagem competitiva quando houver um cenário de reaquecimento da economia.

Custos em pauta

No entanto, antes de demitir um colaborador, é preciso considerar alguns fatores importantes. Primeiramente, o custo de saída do profissional e, depois, o custo dos trâmites da demissão e o tempo do Recursos Humanos investido em atividades administrativas.

De acordo com um estudo de rotatividade feito pelo site Emprego Ligado, esse valor corresponde a duas ou três vezes o salário do funcionário.

Mas não pense que acabou. O custo e o tempo do Recursos Humanos aplicados num processo de recrutamento e seleção, o treinamento, a curva de aprendizagem, a ambientação do novo colaborador e a perda de produtividade por conta da ausência de um profissional na equipe também devem ser postos em pauta.

Sendo assim, estima-se que esse valor gere uma perda de até sete salários por colaborador desligado. Isso deixa claro que calcular os gastos para ter certeza de que essa atitude não gerará mais prejuízos no futuro é algo indispensável para a área de Recursos Humanos e a diretoria da empresa.

Estratégias de recuperação

Nem sempre a demissão é a melhor opção em um primeiro momento de crise. Mas, para ter certeza disso, a área de Recursos Humanos precisa fazer uma previsão do cenário, calcular os gastos e prever ainda se a ação não gerará ainda mais prejuízos no futuro.

E, se mesmo assim a demissão tiver que ocorrer, o Recursos Humanos também será uma peça importante para pensar em estratégias de recuperação para a organização antes e depois do período turbulento.

Tempos de crise econômica são períodos complexos, mas também possibilitam criar um ambiente favorável para a empresa se reinventar e encontrar novos métodos de recrutamento e seleção. Portanto, é fundamental que a companhia esteja munida das melhores ferramentas para garantir resultados por meio da área de Recursos Humanos.

Retenção e atração de Talentos

Apesar dos números crescentes do desemprego em todo o país e de termos milhares de profissionais em busca de recolocação no mercado de trabalho, nem sempre é fácil encontrar alguém qualificado para preencher um cargo, especialmente os de viés estratégico para o negócio.

Por isso, reter e atrair talentos é um ponto de grande relevância para a área de Recursos Humanos. Em tempos de crise, isso pode ser complicado, contudo, não impossível. Obviamente que, para garantir a viabilidade disso, é preciso que a empresa conheça todas as potencialidades de seus colaboradores, a fim de ser assertiva na hora de investir em profissionais que possam vir a ocupar cargos-chave na companhia. Esse papel fica por conta do Recursos Humanos junto aos gestores das demais áreas.

É importante lembrar também que há profissionais que retêm muito conhecimento. E que, em caso de demissão, essas informações podem acabar sendo levadas para a concorrência. Profissionais altamente qualificados são muito difíceis de serem substituídos, por isso, antes de decidir pelo desligamento, é preferível pensar em como oferecer benefícios e possibilidades de crescimento futuro. Remuneração variável ou participação nos lucros podem ser alternativas atrativas nesses casos.

Da mesma forma, é preciso ser muito mais eficiente no recrutamento e seleção para garantir a aderência do colaborador ao momento da empresa, além de captar pessoas com potencial de desenvolvimento para cargos específicos ou de liderança. Um erro nesses processos pode vir a custar muito caro para a empresa.

Para encerrar o artigo, reforçamos que é preciso ter habilidade para discernir o momento certo de contratar ou de demitir e, claro, também fazer um aproveitamento interno, identificando outros talentos e novas possibilidades.

Ressaltamos ainda que, hoje em dia, há inúmeras ferramentas que auxiliam as empresas no recrutamento e seleção, pois desempenham um papel importante na hora de aumentar a produtividade e economizar tempo com os processos de contratação de novos funcionários.

Você ficou com alguma dúvida sobre como lidar com os processos de recrutamento e seleção em momentos de crise? Não perca tempo e entre em contato conosco!


About

Leave Comment