Gerente de RH: quais as principais dificuldades atualmente?

O gerente de RH é uma peça cada vez mais importante na grande máquina organizacional. É seu papel contribuir para que o empreendimento chegue a excelência, por meio de pessoas engajadas, alinhadas e comprometidas com os resultados.

Mas para isso assume diversas responsabilidades, tais como atrair talentos, desenvolver equipes de trabalho e otimizar o diálogo dentro da empresa. Todas essas tarefas revelam-se verdadeiros desafios, que devem ser superados todos os dias.

Pensando nisso criamos um post, especialmente para você, sobre as principais dificuldades de um gerente de RH e como elas podem ser superadas. Continue lendo e fique por dentro do assunto. Boa leitura!

1. Encontrar e contratar profissionais talentosos

Infelizmente, a nação verde-amarela ainda é rica em mão de obra desqualificada. De acordo com o relatório do ManpowerGroup, o Brasil está entre os 5 piores países do mundo para adquirir profissionais realmente talentosos.

A questão é: toda empresa precisa de bons profissionais, seja para desenvolver equipes de alto desempenho ou atender melhor aos clientes finais. Por isso, esse é considerado um dos maiores desafios da atual gestão de recursos humanos.

Para eliminá-lo, é crucial contar com a ajuda da tecnologia. Com um bom software de RH é possível otimizar todo o processo de recrutamento e seleção, tornando-o mais fluído, inovador e eficiente. Assim, toda a companhia será beneficiada.

2. Obter orçamento para o desempenho das atividades

Em muitas empresas o RH ainda é visto como uma fonte de custos, uma visão extremamente equivocada. Uma prova disso é que sempre que se pensa em cortar gastos, uma das primeiras áreas a ser considerada é justamente a gestão de pessoas.

Mas é possível mudar essa visão e ainda obter um orçamento mais elevado para o setor. Para isso, mostre que o RH realmente dá resultados e contribui para o crescimento da companhia. Você pode utilizar algumas pesquisas que subsidiem essa afirmação, a exemplo da publicação da Harvard Business, afirmando que empresas que investem na gestão de RH possuem desempenho (em média) 51% superior à concorrência; ou a pesquisa do Sodexo que concluiu que companhias que investem na qualidade de vida dos trabalhadores são até 86% mais produtivas e 70% rentáveis.

Depois de coletar mais informações, incluindo as métricas geradas dentro da empresa, basta planejar, desenvolver e executar uma boa apresentação para o corpo de diretores da empresa. Mostre que o RH pode contribuir para tornar o empreendimento mais próspero, saudável e bem-sucedido.

3. Melhorar o diálogo dentro da empresa

A falta de comunicação ainda é um problema recorrente dentro das empresas, mesmo nas maiores e mais bem-sucedidas. Quando não há diálogo, cresce o número de problemas, conflitos interpessoais e refugo (desperdício) de materiais.

Esse é um grande desafio para o gestor de RH, pois para potencializar o diálogo, não basta investir em novas tecnologias, como aplicativos mobile ou redes sociais corporativas. É necessário criar uma cultura que realmente valorize o diálogo.

Para isso, o indicado é começar pelo topo da empresa, seus próprios líderes. Quando toda a alta administração — incluindo o CEO — se compromete com o assunto, fica muito mais fácil engajar cada um dos funcionários no mesmo sentido.

Segundo pesquisa da Willis Towers Watson, divulgada em 2011, as empresas que possuem uma comunicação interna eficaz oferecem 47% de retorno a mais para seus investidores, se comparado com outras empresas que não investem no assunto.

4. Ter boas bases de dados para tomar decisões

O gestor de RH convive, dia após dia, com decisões estratégicas relacionadas às equipes internas, como: promover, demitir ou treinar colaboradores. Mas para atuar de forma ágil e assertiva, é indispensável ter uma boa base de dados.

Para superar esse desafio, o indicado é que estabeleça alguns indicadores-chave de desempenho que devem ser acompanhados com periodicidade. Tais indicadores podem estar ligados à produtividade da equipe ou eficiência do próprio RH. Veja os principais:

  • índice de Turnover (rotatividade) dos funcionários;
  • Employer Net Promoter Score (fidelidade e satisfação dos funcionários);
  • retorno sobre investimentos (ROI);
  • nível de absenteísmo;
  •  as métricas relacionadas ao recrutamento e seleção.

Aqui, mais uma vez, é importante contar com o auxílio de novas tecnologias. Um sistema eficiente pode contribuir para monitorar e arquivar informações estratégicas, facilitando o levantamento dos indicadores-chave de desempenho.

5. Desenvolver as competências da equipe

É importante que cada colaborador possua o conjunto dos conhecimentos, habilidades e atitudes para desempenhar suas atividades com maestria. Quando isso não acontece, fica quase impossível atingir resultados fora da curva.

Contudo essa não é uma tarefa tão simples, especialmente em tempos de crise — quando as empresas desejam manter a companhia o mais enxuta possível. Então a saída é identificar treinamentos que sejam mais acessíveis e inovadores.

Uma boa possibilidade são os treinamentos à distância, modalidade que tem crescido cada vez mais rápido. Outra possibilidade são os treinamentos colaborativos, onde alguém da própria equipe desenvolve e apresenta o treinamento — de acordo com sua área de atuação.

Para definir o melhor modo de treinamento, é importante levar três coisas em consideração: o perfil da equipe de trabalho, a cultura da empresa e o orçamento disponível.

6. Manter os colaboradores produtivos

De acordo com um estudo divulgado pela revista Exame, apenas 39% do tempo de trabalho é realmente produtivo — o restante, 61%, é improdutivo. Esse número é bastante elevado e certamente prejudica toda a organização.

Dentre os principais motivos que propiciam o baixo rendimento, é possível destacar: a demasia de checagem dos e-mails, falhas de comunicação, excesso de reuniões improdutivas e a procrastinação dos colaboradores.

Independentemente do motivo, esse é outro grande desafio a ser conquistado pelo profissional de RH. Algumas práticas que ajudam nessa questão são:

  • estabelecer metas inteligentes, realistas e desafiadoras;
  • monitorar os resultados obtidos por cada membro da equipe;
  • oferecer feedbacks contínuos à cada colaborador;
  • definir recompensas para as grandes conquistas alcançadas;
  • implementar uma cultura focada em resultados reais e
  • manter todo o time sempre alinhado.

Esses são alguns dos principais desafios para o profissional do RH. Apesar de complexos, são perfeitamente possíveis de serem superados. O mais importante é potencializar continuamente seu departamento, tornando-o mais inovador e produtivo.

Agora que está por dentro do assunto e conhece as principais dificuldades de um gerente de RH, aproveite para continuar aprendendo. Leia nosso post: ferramentas de gestão de RH: qual a importância para as empresas.


About

Leave Comment