O Recrutamento e Seleção na era da Transformação Digital

A transformação digital está alterando significativamente as relações sociais e de mercado. As soluções de telecomunicação, que nos deixam conectados 24 horas por dia aos nossos computadores, smartphones e tablets, estão trazendo um novo mindset para as empresas e modificando a gestão de pessoas ainda no processo de recrutamento e seleção.

Nesse sentido, cada vez mais a tecnologia está presente na busca pelos talentos em potencial: desde a oferta de postos de trabalho até as últimas entrevistas. Além disso, com as ferramentas de vídeo é possível realizar entrevistas a distância, tanto com material pré-gravado como ao vivo.

Para que você entenda melhor os benefícios da transformação digital para os processos seletivos da sua empresa, escrevemos um pouco sobre esse conceito e explicamos como o vídeo está sendo um importante recurso para garantir maior eficiência na escolha dos futuros profissionais. Acompanhe as próximas linhas!

O conceito de transformação digital

O conceito de transformação digital vai além da ampla utilização da tecnologia. Significa compreender o impacto que os recursos digitais estão trazendo para as relações de consumo, a jornada do consumidor, os meios de produção, o posicionamento das marcas e os processos internos dos empreendimentos.

As empresas que estão empenhadas em abraçar a transformação digital desejam melhorar seu desempenho, a fim de aumentar o alcance dos seus negócios e obter resultados robustos. De acordo com a revista Forbes, 6 pilares compreendem a transformação digital:

Experiências

Entender as expectativas do consumidor, seu comportamento e sua jornada de compra para oferecer a melhor experiência nos pontos de contato com a organização. Ao lado dos colabores, é preciso entender como as ferramentas tecnológicas podem gerar maior produtividade e proporcionar um melhor ambiente organizacional.

Pessoas

Seus colaboradores devem estar em primeiro lugar. Angariar os talentos corretos — que sejam mais engajados à tecnologia — e criar formas de capacitação profissional para os profissionais do seu quadro de funcionários é essencial para a criação de uma mentalidade digital.

Mudança

A transformação digital precisa encorajar a mudança de paradigmas em toda a organização, por meio de uma liderança bem posicionada — com objetivos claros — e provendo as ferramentas necessárias e o ambiente adequado para que os colaboradores abracem a mudança e ela possa ocorrer de maneira natural.

Inovação

Inovar vai além de implementar novas tecnologias, significa ter uma estratégia frutífera que mude a cara do seu negócio. Algumas dessas inovações são massivas e completamente disruptivas, enquanto outras são menores, porém resultam em melhorias significativas na experiência do público-alvo. O mais importante, porém, é que estejam pautadas na construção de um ambiente de trabalho com comunicação aberta, colaboração e liberdade criativa.

Liderança

Como mencionamos, uma liderança proativa, capaz de encabeçar a transformação digital e examinar todas as opções possíveis a fim de conduzir o plano perfeito de mudança, é essencial no processo de transformação digital. Todos os coordenadores devem estar não apenas envolvidos na implementação em si, como, sobretudo, prontos para liderar esse novo paradigma após a realização das mudanças.

Cultura

Por fim, é preciso haver uma reestruturação da cultura organizacional. Sem uma mentalidade digital incutida no dia a dia e no ambiente da empresa, a transformação digital não sobreviverá. Por isso o planejamento de inovação deve colocar as pessoas numa posição de protagonismo que as faça interiorizar todo esse processo.

Uso do vídeo nos processos seletivos

Você deve ter notado que a transformação digital gerou uma produção de conteúdo imensa. Um estudo desenvolvido pela consultoria norte-americana EMC apontou que entre 2006 e 2010 a quantidade de informações veiculada na internet cresceu de 166 Exabytes para 988 Exabytes. A perspectiva é que esse número atinja nada menos que 40.000 Exabytes até o fim de 2020, algo como 40 trilhões de Gigabytes.

Em meio a tantas informações encontram-se textos, imagens, fotos, animações e os vídeos, que são usados para vender, entreter, educar e politizar e, em geral, são marcados pela rapidez com que é possível construir uma ideia a respeito do conteúdo publicado.

Nesse sentido, o vídeo torna-se uma ferramenta estratégica para a produtividade do setor de RH, tanto no contexto da capacitação profissional quanto para vender a imagem da organização com o intuito de atrair talentos para os processos seletivos, bem como nas próprias etapas da seleção.

Se no passado perpetuar-se em uma empresa era o sonho de uma geração inteira, hoje captar e manter os profissionais é um grande desafio. Assim como os consumidores têm muita informação sobre os produtos e serviços que desejam, o mesmo vale para os talentos aos quais a empresa aspira.

Como a competitividade por profissionais de ponta também está acirrada, sua organização deve ter ferramentas de construção de imagem capazes de transparecer seus valores e missão, a fim de cativar essa geração tão volátil.

Além disso, o vídeo é uma ferramenta dinâmica e interativa que pode otimizar seus processos de recrutamento e seleção, ao mesmo tempo em que é simples e econômico para produzir.

Sua utilização pode se dar tanto na oferta de cargos — momento em que a empresa se apresenta ao candidato — quanto ao longo do processo de recrutamento, no qual os profissionais avaliados poderão produzir conteúdos que os identifiquem e demonstrem suas habilidades, como, por exemplo, ao responder à pauta de uma entrevista de triagem de candidatos.

Como o vídeo pode gerar melhores resultados no recrutamento

A utilização das ferramentas de vídeo nos processos seletivos é uma tendência que está se consolidando por apresentar resultados sólidos para as empresas.

Como o vídeo é um material permanente, é possível gerir melhor os candidatos e observar pontos que poderiam passar despercebidos em uma entrevista tradicional, como falhas de comunicação ou deficiência e em algum pré-requisito.

Além disso, os custos gerais de um processo seletivo podem ser reduzidos com a utilização de vídeos. Um exemplo simples é a triagem dos candidatos: ao invés de ter filas de pessoas à espera de uma entrevista, o RH recebe os vídeos, faz a triagem e chama apenas os profissionais que identificar como mais adequados ao perfil da empresa. Esse recurso, consequentemente, também confere agilidade à seleção.

Por fim, a comunicação entre membros da equipe de recrutamento tende a ficar mais alinhada, já que a análise dos candidatos pode ser realizada de maneira conjunta e as informações podem ser discutidas mais amplamente.

Portanto, encarar a transformação digital é um caminho valioso para sobreviver à competição do mercado. Esse novo paradigma, como você percebeu, afeta positivamente todos os setores da organização, incluindo o RH. Com o mindset digital, é possível simplificar processos, investir em inovação e focar no que realmente importa, sem perdas desnecessárias de tempo. Tudo isso com as pessoas no centro da mudança, a começar pelo recrutamento de talentos e qualificação dos colaboradores para a nova cultura organizacional.

Agora que você já compreende a importância da transformação digital para as organizações, que tal entender um pouco mais sobre como a tecnologia pode ajudar nos processos de recrutamento e seleção? Boa leitura!

Gestão de RHPowered by Rock Convert

About

Compleo Vídeo: Software de entrevistas via vídeo que ficam gravadas para serem assistidas a qualquer momento por você, sua equipe ou seus clientes. Ajuda você a não gastar tempo com entrevistas presenciais desnecessárias e também o seu candidato a não ter que se deslocar fisicamente.

Leave Comment