A importância da cultura organizacional na retenção de talentos

A cultura organizacional é um importante elemento para o sucesso do negócio e da gestão de pessoas. Ela representa uma espécie de DNA interno, um conjunto de crenças e valores que tornam a empresa única. Agora, qual é o seu papel na retenção de talentos?

Esse é um assunto essencial, pois é difícil encontrar e contratar bons profissionais. O Brasil está entre os 5 piores países em termos de aquisição de mão de obra qualificada. Por conta disso, perder os melhores talentos não é uma opção razoável.

Nós criamos um post sobre o tema. Nos próximos tópicos, falamos da importância da cultura, seu papel na retenção de talentos e o que o RH deve fazer sobre isso. Confira!

Afinal, por que a cultura organizacional é importante?

“A cultura come a estratégia no café da manhã”. A célebre frase de Peter Drucker mostra como a cultura é importante. Ela influencia todos que estão dentro da firma — e pode determinar o sucesso ou fracasso do que está sendo feito.

Ao estudar a fundo o assunto, William Joyce e outros pesquisadores notaram que as empresas mais bem-sucedidas tinham em comum uma sólida cultura. O estudo foi feito com 160 empresas, por 10 anos, e gerou o livro “O que (realmente!) funciona”.

O que torna a cultura tão importante? Ela sintetiza o conjunto dos hábitos, crenças e valores que são predominantes no ambiente de trabalho. Portanto, influencia a forma como as pessoas pensam, agem e reagem ao longo do expediente.

Há culturas do tipo “ganha quem grita mais alto”, assim como existem aquelas focadas na alta produtividade ou na ótima experiência do cliente. A construção desse DNA empresarial é um processo influenciado principalmente pelos líderes.

Como a cultura impacta a retenção de profissionais talentosos?

Em geral, talentos têm a opção de escolher onde desejam trabalhar ou permanecer trabalhando. Quando isso acontece, eles escolhem as empresas mais alinhadas às suas crenças e valores. Entenda essa e outras causas adiante.

Imprime o DNA da empresa nos funcionários

Quando os profissionais fazem parte de empresas com culturas fortes, é comum que sejam influenciados pela forma como as coisas acontecem no trabalho. Portanto, para eles, a maneira como a empresa age é a correta. É “o jeito certo de fazer as coisas”.

Isso ocorre especialmente com os profissionais menos experientes, que estão no seu primeiro ou segundo emprego. É exatamente por isso que, caso migrem para a concorrência, sentirão uma enorme diferença e demorarão para se acostumar com os novos métodos.

Em resumo, a cultura imprime um certo DNA nos funcionários, tornando-os parte de algo maior e mais importante. Isso resulta em um grau superior de lealdade e impacta diretamente a permanência dos colaboradores no quadro de trabalho.

Estabelece um forte senso de prioridade

A cultura diz o que é certo e errado, permitido ou vetado no expediente. Esse conjunto de cortes permite que os profissionais fiquem focados no que mais importa, deixando de lado questões menos importantes ou que não são prioritárias à organização.

Por consequência, também ajuda a criar um forte senso de prioridade. A cultura determina o que realmente importa — e move todos os profissionais no alcance desse objetivo. Na Amazon, por exemplo, há uma forte cultura de excelência no atendimento ao cliente.

Esse senso permite que os profissionais falem a mesma “língua”, bem como sigam métodos e objetivos semelhantes. Isso não só contribui para a retenção dos profissionais talentosos, como também desenvolve o espírito de equipe e otimiza os resultados da empresa.

Transforma o local de trabalho em um ambiente único

Empresas podem ter culturas parecidas, porém nunca iguais. Isso porque a cultura é a somatória de diversos aspectos tangíveis e intangíveis, como, por exemplo, a forma como os colaboradores falam, se vestem ou priorizam seu trabalho ao longo do expediente.

É isso que torna cada empresa única e diferente de todas as outas (até das filiais, no caso de organizações maiores). Quando os profissionais percebem isso — que seu local de trabalho é único —, podem se tornar mais apegados e leais.

Nesse caso, é preciso que a empresa busque ser um local único de maneira positiva, ou seja, um local bom para trabalhar, que transmita ânimo e bem-estar. Se for um local único em termos pejorativos, os empregados preferirão partir para a concorrência.

Qual é o papel do setor de RH na formação da cultura?

A criação e a manutenção da cultura são processos conjuntos — e por isso dependem de todos dentro da empresa. Todavia, algumas pessoas e setores têm um papel mais relevante — e esse é o caso do RH. Entenda como a gestão de pessoas ajuda na formação da cultura.

Contratação de pessoas com fit cultural

Em primeiro lugar, o RH é o principal responsável pela contratação dos talentos. Se ele seleciona pessoas alinhadas à cultura estabelecida ou que se deseja estabelecer na empresa, perfeito! Se não, estará sabotando a cultura organizacional.

Nesse caso, é preciso que o gestor de RH tenha em vista o chamado fit cultural. Ele deve buscar talentos que se adaptem às crenças e aos valores da empresa, objetivando perpetuar certa cultura. Com isso, podemos compreender que tudo começa ainda no processo de seleção.

Manutenção dos profissionais certos

Quem manter no quadro de trabalho? Essa é outra questão que influencia diretamente a cultura que se deseja manter ou desenvolver. O RH deve selecionar as pessoas certas para demitir, transferir ou promover — sempre com o objetivo de manter o DNA empresarial.

Nesse caso, não é suficiente pensar nos resultados entregues pelos funcionários. As avaliações devem, de igual modo, considerar o alinhamento de cada profissional aos valores da empresa. Talentos alinhados devem ser mantidos ou até promovidos.

Reconhecimento e recompensa

Outra forma pela qual o RH pode gerenciar a construção da cultura organizacional é o reconhecimento e a recompensa de certas práticas. Se o desejo, por exemplo, é criar uma cultura de alta performance, é indispensável recompensar os profissionais que mais produzirem ao longo de determinado período. Com isso, o RH estará direcionando a cultura.

Como é possível observar, o assunto é extenso e merece bastante atenção. Ao criar a cultura que deseja, poderá criar um ambiente único, imprimir determinados valores na equipe e estabelecer um forte senso de prioridade. Por consequência, poderá reter os profissionais mais talentos e garantir ótimos resultados à empresa.

Agora que entende a importância da cultura organizacional, aproveite para continuar aprendendo. Descubra o papel do líder para realizar uma boa gestão de equipe!


About

Plataforma tecnológica perfeita para seu RH: Compleo ATS: Software de Recrutamento e Seleção que ajuda você a gerenciar as etapas do seu processo seletivo, desde a abertura da vaga, divulgação, triagem, testes, entrevistas e organização de todas as etapas para que você possa contratar o melhor candidato no menor tempo possível. Compleo Vídeo: Software de entrevistas via vídeo que ficam gravadas para serem assistidas a qualquer momento por você, sua equipe ou seus clientes. Ajuda você a não gastar tempo com entrevistas presenciais desnecessárias e também o seu candidato a não ter que se deslocar fisicamente.

Leave Comment